Home / Saiba quais são as características necessárias para quem quer fazer EAD

Saiba quais são as características necessárias para quem quer fazer EAD

Universities Begin Winter SemesterA evasão média nos cursos virtuais é de 20%, segundo a Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). Especialistas chamam atenção para as características que os alunos precisam cultivar. “O ideal é que o acesso às aulas seja diário para que haja um ritmo, mas o recomendável é que se estude no mínimo de quatro a oito horas por semana”, afirma o diretor do programa da FGV Online, Stavros Xanthopoylos. O analista de sistemas Fábio Corrêa, de 32 anos, já fez uma série de cursos e destaca a importância de reservar um horário. “É preciso foco para ter sucesso.”

AUTONOMIA E DISCIPLINA

Não se engane pensando que tudo será mais fácil só porque você eliminou o deslocamento diário até a escola. Como a dinâmica de aprendizado é de responsabilidade do aluno, é preciso ter organização para se dedicar ao conteúdo. Por isso, é necessário administrar o próprio tempo.

Da mesma forma, é fundamental ser proativos e ter autonomia de estudo, fatores que permitirão ao estudante dar conta das demandas do curso sem que precise ser cobrado por isso.

O consultor de informática João Paulo Peroni Júnior adotou uma estratégia que o ajudou logo no início de seu MBA, assim que começou a acumular matérias para estudar. “Em dois dias da semana, separava um horário fixo em que estudava por cerca de duas horas. Era como se eu estivesse indo para o curso: ficava só eu e o computador em um quarto tranquilo”, conta.

LEITURA E INTERPRETAÇÃO

Tal qual ocorre nos cursos presenciais, é comum que alunos sem o hábito de ler e escrever apresentem dificuldades para interpretar as informações e se expressar. Isso porque o aluno tem que compreender o conteúdo que chega pelo material didático. Se ele tiver problemas para interpretá-lo, sua aprendizagem ficará prejudicada.

A familiaridade com a leitura faz com que o estudante não se sinta sobrecarregado ao se deparar com textos densos e extensos, comuns em algumas carreiras na graduação e na pós-graduação.

“Muitos alunos se surpreendem com a exigência até maior do que no curso presencial. Alguns reclamam que há um grande volume de tarefas e gostariam que o ritmo fosse menos intenso e os prazos para a realização das atividades, maiores”, afirma a professora Maria Elizabeth Almeida, especialista em Educação e Tecnologia da PUC-SP.

FLUÊNCIA TECNOLÓGICA

Embora seja desejável que os alunos possuam uma certa destreza com a informática, a fluência tecnológica não deve ser uma barreira para quem não domina completamente essa linguagem. Segundo a professora Maria Elizabeth Almeida, é preciso criar condições que permitam aos alunos superar possíveis lacunas e incentivar o florescimento das habilidades desejadas.

“Essas competências ou a falta delas não podem ser adotadas como pré-requisitos, pois, com isso, estaremos deixando de lado pessoas que estão no mercado e precisam se desenvolver.”

Esse argumento ganha mais força conforme a educação a distância e presencial se aproximam uma da outra. A tendência pode ser verificada em países onde os cursos já mesclam características de ambas as modalidades.

Fonte: http://www.estadao.com.br